Parto Humanizado Fernanda Leonel

Fernanda Leonel, Marcelo e Pedro

Esta publicação foi postada em no dia por .

Parto Humanizado Fernanda Leonel

Nosso parto começou próximo de 30 semanas de gestação. Antes disso, não tinha caído a ficha que que esse é o desfecho natural da gravidez. Só sabia que gostaria de ter um parto normal. E até então tinha um acompanhamento padrão, em que questionei à obstetra sobre minhas possibilidades de passar por esse parto “normal”: Já passei por um tratamento para endometriose, além de cauterizações e cirurgia do colo do útero… A resposta nunca era muito consistente, e quando questionei sobre o parto, não me sentia confortável para falar sobre minhas dúvidas, meus receios, muito menos qual era minha vontade. O Marcelo, meu marido, ficava cada vez mais incomodado com essa abordagem e me dizia que precisávamos de outro obstetra. Apesar de insegura – trocar de médico com 30 semanas? Deixar a médica que me acompanhou desde que nasci, literalmente?! Como nossas famílias reagiriam? – Comecei a pesquisar e descobri que essa mudança ia muito além de escolher outro profissional. Para ter nossas escolhas levadas em conta, deveríamos sair do padrão. A partir daí o parto começou a ser de fato nosso: meu, do Marcelo e do Pedro.

Descobrimos a possibilidade do acompanhamento humanizado. E quanto mais eu lia, assistia vídeos, relatos de partos humanizados e não humanizados, tinha mais convicção da necessidade da mudança. Encontramos então o Instituto e tivemos a grata surpresa de ter uma pessoa amiga como membro da equipe, o que nos deu mais segurança da escolha. Decidimos conhecer de fato esse trabalho e marcamos uma consulta com a Dra. Quésia.

Um dia antes, fomos à nossa última consulta com a médica que estava nós acompanhando. Ela disse que se com 31 semanas o Pedro ainda estava sentado, sendo um bebê grande como era, dificilmente ficaria em posição para um parto normal. Isso me deixou preocupada e chateada. No dia seguinte, em nossa primeira consulta com a Dr. Quésia, expus essa preocupação. Ela, com a maior tranquilidade, me disse: Fique tranquila, ele vai virar! E assim foi, naquela mesma semana.

Enfim, mudamos. Acolhimento é a melhor palavra para descrever o que encontramos no Instituto, e só aí entendemos que era isso o que a gente buscava. Começamos o acompanhamento e corremos atrás: fizemos cursos, fisioterapia, mais livros, lemos e assistimos relatos. Tudo isso foi essencial para nos sentirmos cada vez mais envolvidos e seguros. Marcelo chegou a se perguntar como alguém poderia ter um parto normal, de fato, sem esse suporte… O acompanhamento superou nossas expectativas e nos deixou muito mais unidos para vivenciar o parto como um momento íntimo, familiar.

Nos preparamos e Pedro nasceu no dia e hora escolhidos por ele. As contrações começaram às 3:00h da madrugada. Avisei ao Marcelo no início da manhã e passei o dia em casa tranquila, por já ter entendido como seria a dinâmica do parto. Sabia que poderia demorar horas, até mesmo mais de um dia para o trabalho de parto ativo. Organizamos o que ainda estava pendente em casa, descansei, terminei a decoração do quarto…  Às 19:30 daquela sexta-feira chegamos à maternidade, no tempo certo – talvez mais do que certo, quando fui avaliada já estava com 10 centímetros de dilatação! – e o parto foi natural, na água, como era nosso desejo. Pedro nasceu super saudável, tranquilo, observando o mundo novo ao seu redor.

Jamais vou me esquecer do que vivemos nesse dia: A paz que senti quando a doula Bel chegou e segurou minha mão; a voz suave da Dra. Quésia dizendo que estava ali comigo e me incentivando; a atenção, tranquilidade e as fotos maravilhosas da Dra. Karine; Ter meu marido ao meu lado durante todo o tempo e segurar meu filho logo depois de nascer… Usar a palavra gratidão nunca fez tanto sentido! Também à fisioterapeuta Ana Paula que nos acompanhou e nos encorajou a todo momento, a fonoaudiologia Lucianna, as secretarias e toda a equipe, tão atenciosa e competente.

Todas essas pessoas nos levaram a fazer escolhas conscientes e seguir de forma segura para o parto. Sentir o cuidado, ter nossas crenças e vontades respeitadas fizeram desse momento uma experiência inesquecível… A mais incrível das nossas vidas.

Para mais informações entre em contato pelo telefone (31) 3262-3538