fernanda

Fernanda Pinheiro – Parto natural na Água

Esta publicação foi postada em no dia por .

fernandaA exatamente 7 meses atrás eu estava aqui, nesse mesmo quintal, sentindo a maior dor do mundo após descobrir que meu filho não iria sobreviver. De acordo com as estatísticas 90% dos fetos portadores da T18 morrem ainda na barriga da mãe. Outros 9% falecem durante o parto e 1% após poucas horas de vida. Esse foi o diagnóstico recebido.

E ai? O que fazer?

Amá-lo! Amá-lo muito até que ele deseje nascer ou chegue sua hora de partir. Curtir meu bebê muito a cada dia, seus movimentos, seu crescimento, os ultrassons, a barriga, tudo! E principalmente, não criar expectativas que poderiam se tornar sonhos e depois frustrações.

Entreguei nas mãos de DEUS e escolhi ter uma gestação feliz, aguardando o tempo do meu menino.

Mas eu pedia a DEUS que se fosse possível, tudo que eu desejava (mesmo sabendo que a chance era pequena) era recebê-lo com vida, olhar em seus olhos, poder me declarar e me despedir.

E assim DEUS fez!

E hoje, aqui nesse mesmo quintal ainda choro, mas de saudade e de felicidade por ter realizado meu sonho com o Miguel da forma mais linda possível!

No dia 06/12, com 42 semanas e 3 dias acordei de madrugada para ir ao banheiro e percebi que as contrações estavam mais fortes, mais doloridas e vindo a cada 10 minutos. Isso não costumava acontecer durante a noite. Fiquei monitorando e percebi que a dor aumentava e os intervalos reduziam. Fiquei feliz, chegou a hora de conhecer meu menino!! Àquela altura já estava louca para parir logo e me sentia preparada, depois de tanto estudar sobre o parto natural.

Entrei em contato com o Dr.Hemerson, Lena, Quésia e Adrinez Cançado às 8:20 saí de casa para a maternidade. Por volta das 10 da manhã estava com 4 cm de dilatação e contrações cabulosas. Essas contrações de dilatação doem meeesmooo, doem sim, mas passam, aí você respira, cochila, relaxa e enfrenta mais uma! Assim vai, a cada contração pedia socorro, pensava que nunca mais iria querer aquilo. Não chorava, mas gemia, não encontrava posição, e assim fiquei umas 2 horas no chuveiro revezando entre a bola de pilates, as barras e o chão.

Saí do chuveiro e corri para a banheira, só queria saber de água. Ali descobri ainda mais o poder da presença da querida doula Lena Rubia Borgo Bezerra. O leque da Lena, as massagens da Lena (e eu gritava: Lena, massagem!!), os abraços silenciosos, as palavras de incentivo. Quando ela dizia que estava acabando, que estava tudo fluindo bem, eu me animava!

E de repente as dores mudaram, agora era uma queimação no canal vaginal, um desejo muito forte de fazer força quando vinha à contração. Concentrei muito, lembrei de várias coisas que li, lembrei da minha primeira cadela parindo, dos aúdios que ouvi da Dra.Quésia sobre o hypnobirthing, do bebê passando pelo canal de parto e nos intervalos lembrei até dos textos sobre parto orgásmico. Me apoiei no Roger, apertei suas mãos e chamei: Vem filho! Vem Miguel!

E não é que deu certo? Às 13:50 Miguel nasceu! A sensação dele saindo de dentro de mim foi à coisa mais maravilhosa que já senti na vida! Em uma das contrações a cabeça saiu, depois ele se virou (eu gritava: ele está mexendo!!!) e na próxima contração ele saiu todo! Foi liiindoooo! Peguei meu filho no colo e ali fiquei nem sei quanto tempo curtindo aquele olhar mais profundo, forte, cheio de energia e amor! Meu sonho se realizou! Ele estava fraquinho, o chorinho saia baixinho, mas a força daquele espírito guerreiro que enfrentou tudo para estar ali em nossos braços iluminou tudo!

E foi para o colo do papai! O pai mais lindo que ele poderia ter. Foi delicioso vê-los juntos e ver o Roger virando pai! E o amor só aumenta!!

E foi para o colo da vovó que o esperava louca de amor! E tenho certeza que ele sabia que ela estava ali, sempre esteve e sempre estará! Alcione Matos

E das tias e da família toda! Ele esperou todo mundo…ele suspirou com leveza e voou! Eu eu disse: Vai filho, pode ir tranquilo, obrigada por tudo, te amo muito!

E eu só conseguia sentir paz e gratidão!

Sou muito grata a Deus por tudo!

Para mais informações entre em contato pelo telefone (31) 3262-3538