Cintia e Inácio

Esta publicação foi postada em no dia por .

Querido Inácio,

No dia 13 de Outubro de 2014 você nasceu corajosamente na água. Desde quando fomos morar no Pará e eu estava grávida da sua irmã, dizia que voltaria para Minas grávida do meu segundo filho, e assim aconteceu… Quando retornamos em Agosto faltavam poucas semanas para você chegar.

No dia 12 de Outubro, eu, o seu pai e a Maria Rita estávamos descansando a tarde. Quando eu fui ao banheiro notei um pequeno sangramento, comuniquei ao Dr Hemmerson que pediu que eu observasse, pois poderia ser normal. Exatamente naquele dia você completava 39 semanas e como teríamos que viajar de Sete Lagoas a Belo Horizonte, resolvemos arrumar as coisas, conversar com a sua irmã e sem muito alarde partimos para mais uma experiência inesquecível em nossas vidas.

No caminho senti minha bolsa estourar, a felicidade era imensa e a expectativa com relação ao seu parto era nenhuma. Não planejamos nada e nem tivemos tempo de preencher o plano de parto, já que o seu pai estava no Pará e havia chegado há uma semana apenas… A experiência no parto da Maria Rita (a nossa primeira bem nascida) tinha nos ensinado que o melhor caminho era a entrega total.

Enquanto aguardávamos o Dr Hemmerson nos orientar em que hospital seria o parto, lanchamos, compramos algumas coisas que ainda faltavam e conversamos muito sobre você. Às 22 horas demos entrada na Maternidade da Unimed. A Dra Gisele Maciel nos atendeu com todo carinho e constatou que havia dilatação mas ainda não havia contração. O que eu mais queria era um parto natural e fiz de tudo para que isso acontecesse: subi até a suíte de parto pelas escadas, andei e não tive dúvidas quando vi aquela banheira, entrei imediatamente para que as contrações viessem logo. E funcionou! Logo apareceu a primeira contração e a partir daí não pararam mais.

Mas havia um detalhe, eu estava na banheira… Não queria que você nascesse na água, pois sabia de tudo o que podia acontecer se alguma coisa desse errado. Entre uma contração e outra eu falava para o Dr Hemmerson e para a Izabel que eu queria sair de lá, mas não conseguia porque a água ajuda muito a suportar a dor. Lembro-me do Dr Hemmerson me perguntando com toda a sua calma onde eu queria ficar, daí quando eu tentava levantar, não conseguia porque a contração fora da água era mais forte. Então resolvi fazer o que havia me proposto desde o princípio, me entreguei… concentrei no que estava vivendo e deixei o meu corpo agir junto com você.

Como sempre o seu pai carinhosamente e calmamente me amparava enquanto as contrações aumentavam. Desta vez fiquei tão consciente de tudo o que acontecia que quando eu senti a queimação (o “círculo de fogo”) pedi para o Dr Hemmerson chamar a Pediatra pois sabia que mais algumas contrações você nasceria. Quando o seu pai me entregou você ( à 1:04hs), senti novamente a presença de Deus e um profundo amor tanto por você quanto pelo seu pai.

Sabe filho, eu sempre quis ser mãe, sempre falo que nasci para isso. Fiz a minha parte para que você viesse ao mundo da maneira mais pura e amorosa que podia. Deus nos deu condições para isso quando colocou em nosso caminho a Dra Quesia, a Dra Gisele, o Dr Hemmerson e a Izabel. Além de um pai maravilhoso, que te deu todo amor do mundo desde a sua concepção até o seu nascimento e certamente será assim para o resto da sua vida.

Para mais informações entre em contato pelo telefone (31) 3262-3538