PRISCILA

Priscila Soares – Parto Normal

Esta publicação foi postada em no dia por .

 PRISCILA

Minha gestação foi muito tranquila, não tive enjoos, cólicas… e como estava tudo tão calmo, a mamãe tinha convicção que nossa Luiza chegaria apenas na semana do dia 21/07, com 41 semanas.

Férias do papai agendada para este período…pois é, tudo certo e já determinado na cabeça dos papais, mas nossa Luiza decidiu chegar chegando e reafirmar que não conseguimos controlar NADA.

Vovó e vovô maternos são do interior e com 37 semanas fomos visita-los, para despedirem do barrigão…decidimos que seria o último final de semana que iríamos para o interior, pois no próximo final de semana iríamos comprar algumas coisas que faltavam de decoração do quartinho…

Na segunda-feira, dia 27.06, tive consulta com a Dra. Quesia, ela me achou cansada e sugeriu um atestado, para ajudar a oxitocina ser liberada…mas a mamãe aqui disse que estava bem e que talvez saísse de licença na próxima semana, com 39 semanas.

Todos no trabalho ficavam impressionados com o barrigão e brincavam: “ vc não vai sair de licença?? Essa menina vai nascer aqui” e eu brincava “minha bolsa vai romper aqui na empresa, vou trabalhar até o ultimo dia, para poder ficar o máximo com a minha Luiza depois do nascimento”

Pois é…eu mal sabia que ela já estava querendo vir e não iria esperar a data que a mamãe havia decidido, pois quem decidiria era ela .

A semana foi tranquila, trabalhei normal, fui à fisioterapia, fui ao pilates terça, a hidro na quinta e sexta fiz o e-pino as 11hs no instituto.

Como a Dra. Quesia me achou cansada, na sexta dia 01/06/2016,  com exatas 38 semanas, enquanto eu aguardava na recepção do instituto, para fazer a massagem perineal e o epi-no, resolvi marcar um spa para a próxima semana, com direito a banho de hidromassagem e massagem relaxante.

Fiz a massagem e o epi-no e voltei ao trabalho. As 12hs as meninas do trabalho me chamaram para almoçar na savassi e eu topei.

Trabalho no bairro floresta e fomos almoçar no Graciliano…durante o almoço comecei a sentir algumas cólicas, estilo menstrual, muito espaçadas, a cada 20 minutos, mas eu não queria acreditar que era o início das contrações, já que eu tinha muita coisa para resolver, faltavam alguns detalhes na decoração do quartinho e eu ainda não tina feito a minha mala…mas como eu disse, ela queria nos mostrar que não tínhamos mais controle de nada!!

Eu ainda incrédula, voltando do almoço, no carro minha amiga decidiu ligar para irmã dela, que havia acabado de ter neném, para perguntar se o que ela sentiu foi parecido com o que eu estava sentindo, pois bem, ela confirmou que o início das contrações foi exatamente o que eu estava sentindo….mas eu repetia para minhas amigas e para mim mesma “não será hoje, a Luiza vai esperar eu organizar tudo, ainda estou com 38 semanas, ela vai esperar até 41 semanas”

Chegamos ao trabalho e encontramos com meu marido no elevador e as meninas comentaram que minhas contrações começaram, mas ele não acreditou, achou que as meninas estavam brincando.

Fui para minha mesa tentar trabalhar, mas as contrações começaram a aumentar… a cada 15 minutos sentia aquela fisgada que durava cerca de 50 segundos.

Por volta de 15:30 o maridão foi a minha mesa e perguntou se ainda estava sentindo algo, e ele viu o papel ao meu lado com as anotações de intervalo entre uma contração e outro, que estava entre 20 e 15 minutos.

Então ele fez eu ligar para Dra. Quesia e pergunta-la se seriam contrações mesmo.

Liguei para ela e ela me disse que poderia ser alarme falso, mas, se fosse mesmo, ela nasceria apenas de madrugada, que era para eu continuar com minha rotina, manter meus compromissos, jantar normalmente…

Depois que conversei com a Dra. Quesia, começamos a acreditar que poderia ser o grande dia mesmo, e o Marlos disse que arrumaria as coisas dele para podermos ir embora as 16:30.

Assim fizemos, chamei o Uber e desci para encontrar com o Marlos na portaria, meu gerente desceu comigo e fomos conversando que provavelmente seria um alarme falso, já que havíamos nos programado para dia 21/07 e não dia 01/07…rsrs, doce ilusão!

Cheguei em casa as 17hs e a dor foi aumentando…

Liguei para nossa querida Doula Bel, acho que ela também achou que seria um alarme falso, senti que ela não deu muita ideia não, rsrs….ela sugeriu comprarmos um lanchinho para o hospital…o Marlos saiu para comprar enquanto eu tomava um banho.

Arrumei minha mala e deitei na sala de TV as 19hs para assistir um filme.

A Contração durava cerca de 50 segundos, durante este tempo eu me contorcia toda de dor, mas logo passava e eu ficava normal, sem nenhuma dor…é algo incrível, vinha uma dor maluca e logo ela sumia, e depois de 15 minutos ela vinha de novo e sumia da mesma forma que veio…

Havíamos combinado um fondue na casa de nossos amigos que moram em nossa rua e eu queria muito ir, como a contração sumia da mesma forma que aparecia, eu achei que seria tranquilo ir, mas meu marido achou mais prudente ficarmos em casa, já que na hora que a dor aparecia eu queria apertar qualquer coisa que vinha na minha frente…rsrs, então o Marlos ligou e desmarcou nosso jantar, por um justo motivo, rsrs

Foi ai que me lembrei do TENS. Liguei para Dra. Quesia e ela me passou o contato da cunhada dela, a tão querida Nayara, que estava com o TENS em casa e gentilmente trouxe aqui para casa.

O TENS funciona como analgesia alternativa, na hora que o contração vem, apertamos um botão e levamos um mini choque, que confunde o cérebro e a dor da contração é menor perceptível.

O TENS ajudava, mas ainda sentia muita dor…

Por volta de 21hs fui para o chuveiro e fiquei la por 40 minutos, quando o Marlos  disse que era melhor sair, que minha pressão podia baixar muito.

Enquanto eu ficava no chuveiro o Marlos ia anotando as contrações…a cada contração eu gritava “Liiiiiiiiiiiiiindo, mais uma…aaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiii”…kkk

Sai do chuveiro, coloquei o TENS de novo e deitei na cama, não foi possível ver o filme…kkk

As 22:40 a dor estava muito intensa, ai o Marlos ligou para a Dra, Quesia que  disse aguardarmos mais 2 horas para ir para o Hospital.

Voltei para o chuveiro, peguei um banquinho e fiquei sentada debaixo do chuveiro por mais 40 minutos, ai as contrações começaram a vir de 5/5, 3/3 e de repente de 1/1.

Sai do banheiro e fui me trocar enquanto o Marlos ligava para dra. Quesia, avisando que já estávamos indo para a maternidade.

Chegando a maternidade as 23:55, a nossa amada Dra. Quesia foi nos receber ainda no corredor, eu já chorando e ela com aquele rostinho sereno, e com muito carinho me abraçou e me deu os parabéns…neste momento eu me senti tão tranquila e confiante, porque eu sabia que estava nas mãos de uma pessoa incrível e que nos respeitava muito.

Entramos para o quarto e fizemos o exame de toque, e eu estava com 5 cm de dilatação.

 Logo em seguida a Bel chegou, começou as massagens, sentei na bola de pilates, usei o TENS, concentrei na respiração…mas ainda doía muito, ai fui para o chuveiro…o Marlos ficou la dentro comigo por uns 30 minutos… Por volta de 03hs eu disse a ela que eu estava no meu limite, que queria anestesia, ai ele disse que ia chamar a Dra. Quesia para me examinar.

Eu ainda no chuveiro, ela chegou o rostinho na porta e com aquela voz serena disse: “Não vou te examinar, senão vc sentirá muita dor, vamos descer e tomar a anestesia”

Descemos para o bloco, o anestesista demorou muito, e eu não me aguentava de dor…como a Bel diz, eu estava na partolandia, perdemos toda a classe, rs, muitos muitos gritos para tentar aliviar e apertava a mão do Marlos e da Bel com muita força.

 Foi feita a anestesia e logo em seguida a dra. Quesia fez o exame de toque e me disse “Parabéns, pode contar para todo mundo que vc tomou anestesia com 9 cm” Minha bolsa ainda não havia rompido e ela perguntou se eu queria que rompesse e eu autorizei.

Eu ainda sentia muita dor e disse a Dra. Quesia que eu estava no meu limite e que não conseguiria sentir toda aquela dor de novo e ela me disse que tbm não queria e não deixaria eu sentir aquela dor e mais uma vez me senti muito acolhida e respeitada por minha tão querida obstetra.

Subimos para suíte de parto e a Dra. Quesia toda animada disse, aqui é nosso espaço, podemos gritar cantar, dançar….e colocou uma música e eu e o Marlos começamos a dançar, entre uma contração e outra ensaiávamos alguns passinhos…rsrs

Eu ainda sentia muita dor, acredito que a anestesia não pegou direito, porque eu não tive nenhuma dormência e continuava com as mesmas dores.

A Bel falava insistentemente para eu concentrar na respiração, e eu dizia que não tinha jeito, a dor sobressaía…

Disse a Bel que não aquentava mais que iria tomar outra anestesia…

Foi ai que a super Bel e a super Dra. Quesia entraram em ação e já me sentaram no banquinho de parto e o Marlos sentou em uma cadeira atrás de mim. O tempo todo eu apertava a mão do Marlos.

A Dra. Quesia pediu para eu lembrar do epi-no e fazer força a cada contração.

A cada contração eu gritava e fazia muita força tanto apetando a mão do Marlos como para a descida da Luiza…a Dra. Quesia disse: “ estou vendo o cabelo, força, lembra do epi-no” e eu chorava e pedia ajuda dela “me ajuda Dra. Quesia, me ajuda”

E em menos de 10 minutos, as 05:30, escutei aquele chorinho mais lindo de boas vindas…e nossa Luiza veio direto para meus braços, e nos três nos pusemos a chorar, Marlos, eu e Luiza, agora sim, uma verdadeira família, cobertos de suor de um trabalho de parto cheio de amor e cobertos de lagrimas de um choro de felicidade…a Luiza chorava e eu dizia, chora mesmo meu amor, a mamãe também esta chorando, nós te amamos demais, você foi muito desejada e já é muito amada.

Agora, a lembrar deste momento, estou escrevendo com lagrimas nos olhos de tanta emoção, foi lindo! Naquele momento nasceu nossa Luiza, uma mãe e um pai que transbordavam de amor e nossa querida Bel gravou tudo….eu não sabia que ela estava gravando e ao ver o vídeo pude sentir tanto amor que o peito parece que vai explodir!!

Ficamos ali, nós três, por alguns minutos, abraçados e chorando lagrimas de amor!

Logo em seguida o Marlos, o meu Lindo,  cortou o cordão, fizemos pose para foto e a Luiza já estava calminha em meu colo, ela já não estava “conectada” a mim pelo cordão, mas estava através de um amor inexplicável. Eu já a amava muito, e não podia imaginar que ao vê-la em meus braços este amor poderia aumentar, mas foi possível, eu consegui ama-la ainda mais.

Logo em seguida a Luiza já mamou em mim, foi avaliada dentro do quarto e somente saiu de perto de mim quando tivemos alta no dia seguinte.

Obrigada a equipe do Instituto Nascer por nos respeitar tanto e fazer tudo com tanto amor!

Recadinho do Papai: E eu, Marlos, sou o homem mais feliz e abençoado deste mundo por Deus ter me dado os amores da minha vida! Nunca imaginei que poderia existir amor maior! Vou amar essas duas até o dia que papai do céu deixar! Vou cuidar delas com muito carinho, pois são as minhas lindezas! E que venham mais uns por aí para aumentar ainda mais o meu amor.

Para mais informações entre em contato pelo telefone (31) 3262-3538