Logotipo Instituto Nascer
(31) 3262-3538
Izabela

Todas as vezes que vou contar sobre o parto do Gustavo, eu sempre começo esclarecendo que foi uma aventura!
Primeiramente, nosso filho estava previsto pra nascer no dia 10 de Outubro, mas ele acabou nos surpreendendo no dia 21 de Setembro!
Bom, nossa aventura começou assim, eu fiz meu pré natal com dois médicos. Já era paciente de uma ginecologista, que também estava grávida quando eu engravidei, mas ela me tranquilizou que, quando meu filho nascesse, o dela já estaria com 3 meses e ela teria retornado ao trabalho, o que permitiria que fizesse meu pré natal.
Mas uma amiga em quem eu confio muito me indicou o Dr. Marco Aurélio e me disse que ele fazia um tal de “parto humanizado”. Eu, curiosa, resolvi também me consultar com ele e saber melhor o que vinha a ser o parto humanizado, coisa que eu nunca tinha ouvido falar.
Com ele, aprendi sobre o parto de cócoras e até na água, cujo vídeo que assisti na internet me deixou encantada!
Bom, eu gostei tanto do Dr. Marco Aurélio, pela sua tranqüilidade, educação, gentileza e profissionalismo, que fui fazendo meu pré natal com ele também.
Mas com o tempo e nossas conversas e esclarecimentos sobre o parto, fui notando que o Dr. Marco Aurélio era um daqueles médicos raros nos dias atuais. Sua preocupação com o melhor para a mãe e para o bebê se sobrepunham a qualquer interesse pessoal, que, infelizmente, levam tantos obstetras a escolher o que se mostra mais conveniente para eles próprios e não para suas clientes.
Minha filosofia de vida sempre foi a de priorizar o natural, e com o parto não seria diferente!
Já havia, então, me decidido pelo Dr. Marco Aurélio!
O dia P
Era madrugada do dia 21 de Setembro, e meu marido ia acordar à 01:30 da manhã pra viajar pra Colômbia, onde ficaria por 1 semana a trabalho.
Pois bem, à meia e meia daquele dia, ou seja, 3 semanas antes do previsto, e 1 hora antes do meu marido levantar pra ir embora, acordei com a bolsa que havia estourado, e já liguei pro Dr. Marco Aurélio, que me informou que não se encontrava em Belo Horizonte, e me disse para me dirigir à Maternidade Santa Fé.
Aí já começou meu desespero, meu médico não se encontrava na cidade!
Também meu marido ia ter que cancelar sua viagem. Por uma razão especial, claro, mas isto também acabou gerando um certo stress.
Queríamos ainda contratar a equipe da maternidade que filma o parto, mas quando ligamos, seu equipamento estava com defeito.
E estávamos sem carro, então tive que ligar pros meus pais pra nos buscarem pra levar pra maternidade.
Chegando lá, fui informada que eu estava com 3 centímetros de dilatação.
Às 03:30 fui levada para a sala de parto, e, no caminho, o Dr. Hemmerson me ligou pra dizer que ia realizar o parto a pedido do Dr. Marco Aurélio, para meu grande alivio!
Logo que chegou, com sua tranqüilidade e simpatia, já me senti bem mais calma e segura.
Mas o que mais me cativou no Dr. Hemmerson foi a sua HUMANIDADE.
Eu estava muito assustada, pois sentia dores fortíssimas, e não esperava o parto pra aquele dia, e o Dr. Hemmerson soube me tranqüilizar. Ficou das 3:30 até às 7:30, quando meu filho nasceu, segurando e acariciando minha mão, conversando comigo, me acalmando, me ensinando os movimentos que eu deveria fazia na hora do nascimento, que eu devia me conectar com o meu lado instintivo e natural, que eu não deveria me preocupar com nada nem ninguém, e me deixar livre para expressar sons e movimentos que meu corpo necessitasse para aquele trabalho, e até conselhos de como criar meu filho ele me deu!
Além de tudo isso, ainda chegou na sala de parto com um aparelho de som a tira colo, e alguns CDs! Fiquei o tempo todo ouvindo músicas lindas, que me ajudaram a me acalmar mais ainda e, com certeza, trouxeram mais beleza para aquele momento, que estava muito tenso pra mim.
O Gustavo nasceu ouvindo jazz, a Miles Davis! Até comprei um CD dele em homenagem!
Também o Dr. Hemmerson providenciou a mudança da sala do parto, pra que fôssemos pro “mineirinho”, pros meus pais poderem assistir.
E também chamou a Dra. Soraya, pediatra, para acompanhar o parto, que continua acompanhando o Gustavo.
Aconselhou meu marido a não filmar o momento exato do parto, pra poder curtir ali do meu lado, o que foi excelente! E logo que o Gustavo nasceu, ai sim meu marido ligou a câmera, e depois que ele cortou o cordão umbilical, o Dr. Hemmerson também nos filmou, todo descontraído.
E, como não poderia deixar de ser, fechou seu trabalho com chave de ouro, permitindo que o meu bebê ficasse por quase 1 hora no meu colo, o que não tem nada neste mundo que pague aquele momento tão único!