Logotipo Instituto Nascer
(31) 3262-3538

Blog

Além do obstetra: 11 profissionais que você deveria procurar na gravidez

O pré-natal pode ficar muito mais completo – e fácil de atravessar – se você cuidar da sua saúde e da saúde do seu bebê de maneira integrada. Fizemos uma lista de outros especialistas que podem ajudar você nessa fase tão importante.

Quando você descobre que está grávida, logo pensa: “Preciso marcar uma consulta com um médico Obstetra”. E é isso mesmo! Encontrar um médico nessa área, que te acompanhe, passe segurança, informe e cuide de você com um olhar atento da sua saúde é fundamental para um pré-natal mais tranquilo — tanto para a mãe como para o bebê. O que muitas famílias não fazem ideia é que o cuidado com a saúde e com o bem-estar da gestante vai muito além do GO, sigla usada no meio para identificar o especialista em ginecologia e obstetrícia.

Você sabia que existem vários outros profissionais importantes nessa jornada dos nove meses (e mais um pouco, já que tem o pós-parto também)? “A gravidez é um período de profundas transformações físicas e psíquicas, principalmente da mulher, mas do casal também. Então, é muito importante acompanhar esse desenvolvimento fetal e a saúde materna durante esse período”, explica a ginecologista e obstetra Laura Penteado, diretora da clínica Theia (SP).

Nem sempre é possível ter ao seu lado todos esses profissionais, já que nem tudo está incluso, por exemplo, na cobertura dos planos de saúde ou na rede pública de atendimento. No entanto, montamos aqui uma lista de especialistas que podem fazer toda a diferença na gravidez e no puerpério, em conjunto com o obstetra, e explicamos como cada um deles pode ajudar. Assim, fica mais fácil você entender o que precisa e escolher em quais deles investir com prioridade.

1. Doula

É responsável por trazer conforto, bem-estar e segurança à gestante durante o trabalho de parto. “Ao contrário do que muitos ainda pensam, ela não está lá só para fazer massagem e dar carinho. Ela é uma profissional que traz todas as informações sobre o processo, para preparar a mulher”, explica a doula e formadora de doulas, Samantha Ribeiro, do Espaço Mãe (SP). Se for contratar uma doula, tente marcar algumas conversas com antecedência ao parto. “Assim, ela consegue entender o contexto da grávida, da rede de apoio, da família, daquela gravidez, entender seus medos, anseios, o que você espera do parto… para que, na hora, ela garanta que aquele ambiente esteja dentro do que você deseja”, explica a obstetra Laura Penteado. Além disso, a médica ressalta que a presença de uma doula no momento do parto ainda ajuda o restante da equipe. “A presença de uma doula no trabalho de parto diminui as intervenções e aumenta as taxas do parto normal, exatamente porque trazendo esse conforto e essa segurança maior para a parturiente e para a equipe que está acompanhando, porque você sabe que, do ponto de vista emocional, essa gestante está bem amparada”, complementa a especialista.

2. Psicóloga

Se tem um período que muda completamente a nossa vida de cabeça para baixo é a gravidez, junto com o pós-parto. Nada como estar bem preparada e amparada, emocional e mentalmente, para tanta turbulência. “É válido. Nem sempre é preciso (ou possível) ter um acompanhamento de várias sessões, mas passar por uma avaliação psicológica ajuda”, orienta Laura. São vários medos, várias dúvidas e várias angústias sobre a maternidade, o vínculo com a criança, as transformações na relação com o parceiro ou com a parceira… O chamado pré-natal psicológico pode ser um facilitador. Quem está na segunda gestação pensa: vou conseguir amar esse bebê como amo meu primeiro filho? E tudo isso é normal. “Em média, 25% das mulheres vão desenvolver algum grau de depressão pós-parto, então, se você tiver mais informação, uma melhor preparação psíquica durante o pré-natal, as chances podem diminuir”, aponta a obstetra. Isso sem falar em casos que têm um desfecho inesperado, como aborto espontâneo, complicações, prematuridade ou óbito fetal. Ninguém quer pensar, é claro, em situações assim em um momento tão feliz, em geral, que é aquele de gerar um bebê, mas são possibilidades. E quanto melhor você estiver preparada para elas, mais forte vai sair do turbilhão.

3. Nutricionista

A alimentação é o combustível do corpo. Quando existem dois corpos em um, então, nem se fala da importância de comer bem, não é? O que, vale lembrar sempre, está longe de ser equivalente a comer por dois. Se você tiver a possibilidade de contar com a orientação de um profissional de nutrição, especializado em gestação, poderá fazer escolhas nutricionais melhores, equilibrar o ganho de peso e saber como substituir nutrientes se, por algum motivo, tiver alguma intolerância ou alergia a certo grupo alimentar. “Ajuda também no controle em casos de intercorrências, como hipertensã0 e pré-eclampsia, lembra Laura.

4. Fisioterapeuta pélvico

Haja estrutura muscular e óssea para aguentar o crescimento da barriga, com outro ser humano se desenvolvendo aí dentro — e, eventualmente, tendo que abrir caminho para sair e encarar o mundo aqui fora. O fisioterapeuta pode ajudar com alguns exercícios e posições que aliviam desconfortos, sobretudo as dores na lombar, na reta final da gestação. Além disso, o fisioterapeuta pélvico é um profissional que trabalha exclusivamente com o assoalho pélvico, formado por um conjunto de músculos na pelve, importantíssimo para o parto. Trabalhar esses músculos da maneira certa, com orientação profissional, pode facilitar o parto e prevenir (ou ajudar a corrigir) problemas como a incontinência urinária,  comum no pós-parto.

5. Enfermeira Obstetra

A Enfermagem Obstétrica é uma área da enfermagem que cuida, especificamente, das fases da reprodução humana envolvendo gestação, pré-natal, parto e pós-parto. Em alguns países da Europa são elas que atendem a maioria dos partos, no entanto, no Brasil ainda não são todas as gestantes que contam com essas profissionais. Os EO’s também podem realizar partos naturais de baixo risco e acompanhar a gestante durante a gravidez, parto e pós-parto.

6. Dermatologista

Estrias, melasma, acne… Várias mudanças podem acontecer na pele da mulher ao longo da gestação. Se for o seu caso, é importante fazer um acompanhamento com um especialista, em vez de sair apostando em receitas caseiras ou em qualquer produto, encontrado na prateleira da farmácia. Isso porque alguns componentes não podem ser usados na gravidez, por oferecerem riscos ao bebê e à saúde da mãe nesse período delicado. Consulte sempre um médico para saber a melhor forma de se cuidar.

7. Acupunturista

A técnica de medicina chinesa pode ajudar a mulher em vários pontos durante a gestação. Ela serve apenas não para aliviar as transformações físicas, mas também o processo da dor, ajudar na liberação de hormônios para que a gestante entre em trabalho de parto, além de  ajudar a virar a posição do bebê caso ele não esteja cefálico, isto é, de cabeça para baixo, no final da gravidez. Certifique-se de encontrar um profissional qualificado para garantir o conforto e a eficácia dos tratamentos.

8. Massoterapeuta

Outro profissional que entra no alívio dos desconfortos que vêm com as transformações geradas pela gestação no corpo é o massoterapeuta. “A mulher retém muito líquido, principalmente no fim da gravidez. A sobrecarga do quadril dificulta a circulação nas pernas. Então, a drenagem linfática e alguns outros tipos de massagem ajudam não só na reabsorção do líquido, mas também em dores nas pernas e na lombar”, explica Laura. Só procure um profissional que tenha capacitação para atender gestantes e avise sempre que você está grávida, para garantir a segurança, combinado?

9. Pediatra

Sim, o ideal é pesquisar e escolher um pediatra ainda durante o pré-natal. De preferência, marque uma consulta com ele ainda na gestação. O indicado é que isso aconteça por volta do terceiro trimestre. “É importante confiar no profissional porque depois que o bebê nasce é mais conturbado fazer a mudança, caso você não goste, não crie empatia, não tenha vínculo”, exemplifica a obstetra. Mais do que isso, o pediatra é importante para orientar a família caso a mulher desenvolva algum problema de saúde ainda na gravidez, como hipertensão ou diabetes, e como isso pode afetar a criança, quais são os impactos de cada via de parto, o que acontece com o bebê nas primeiras horas, quais vacinas são importantes, quais exames, a amamentação…

10. Consultoria de amamentação

E por falar em amamentação… Ainda há quem se “esqueça” de pensar nisso durante a gestação e deixe para se preocupar só depois que o bebê nasce, por achar que é um ato instintivo e natural. Nada disso! Amamentar um bebê exige determinação e, principalmente, informação. Por isso, conversar com uma consultora de amamentação ainda no pré-natal pode ajudar você a entender o que está por vir, os desafios, os benefícios, possíveis problemas e como preveni-los e muito mais. Depois do parto, o acompanhamento, já com o bebê no colo continua sendo importante, mas, quando os cuidados começam antes, as chances de você saber lidar com questões mais difíceis, quando elas surgirem, são maiores. É um investimento que vale cada centavo. E se você estiver com o orçamento apertado, vá até o banco de leite mais próximo. Eles têm enfermeiras especializadas que podem ajudar com as orientações mais importantes.

11. Consultoria de sono

A privação de sono,  principalmente nos primeiros meses de vida do bebê, é uma reclamação constante entre os pais. Afeta a saúde, o comportamento e o humor de todo mundo na casa. “O recém-nascido não tem o ciclo circadiano amadurecido, ou seja, não tem ainda a coordenação dos hormônios que ‘entendem’ o que é dia e o que é noite, quando dormir, quando despertar. Isso é um processo de aprendizado”, aponta a obstetra da Theia. Quem se prepara melhor tem maiores chances de saber o que está por vir e de se prevenir. “As consultorias de sono ajudam os pais e a rede de apoio a entenderem as necessidades do recém-nascido e como ajudar no processo do sono da criança. Elas orientam sobre como preparar melhor esse ambiente, como entender melhor o ritmo do recém-nascido e até como você também se virar melhor nessa nova rotina de privação de sono, que é superdificil!”, completa a médica.

*Fonte: Portal globo.com / Crescer Online 24/03/22 / Adaptações do Obstetra Hemmerson Magioni.

Hemmerson Henrique Magioni, Médico Obstetra e Diretor Técnico do Instituto Nascer – CRM-MG 34455